domingo, 23 de abril de 2017

QUINTA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA PÁSCOA (ANO A): “Aquele que vem do alto está acima de todos” (Jo 3,31-36).

A Páscoa que ora celebramos reforça a certeza de que não nascemos neste mundo para vivermos apenas por aqui. Nós cristãos acreditamos firmemente que O CÉU É A NOSSA META E O NOSSO FIM. Celebramos a Páscoa para vivermos sempre com atitudes pascais. JESUS MORREU, DESCEU À MANSÃO DOS MORTOS, MAS RESSUSCITOU E PERMANECE VIVO À DIREITA DE DEUS, MAS TAMBÉM AO NOSSO LADO, SEMPRE QUE NOS ORGANIZAMOS PARA VIVER PERANTE AS COISAS DO ALTO. Uma vida que se apega tão somente às coisas deste mundo, ao dinheiro, ao prazer e ao poder, é e sempre será uma vida rasa e medíocre. Deus não quer isto para nós. Por esta razão nos enviou o seu Santo Filho, que veio do céu, voltou para lá e fez e continua a fazer com que possamos entender que precisamos alcançar a altura e a grande abrangência do seu amor. Jesus, com a salvação que Ele nos confiou a partir do instante em que venceu a morte, já nos capacitou para que possamos atingir a altura, mas também a profundidade do amor de Deus. O CÉU NÃO É UM LUGAR, MAS A CERTEZA DE QUE ESTAREMOS SEMPRE NA ETERNA PRESENÇA DE DEUS. Por isso podemos entender e viver o céu da nossa fé já aqui neste mundo. Não de maneira plena, mas como possibilidade de nos aperfeiçoarmos sempre mais na graça de Deus. QUANDO VIVEMOS FAZENDO A OPÇÃO PELA VIDA, ANUNCIANDO AS COISAS BOAS QUE DEUS TEM A NOS OFERECER, MAS QUANDO TAMBÉM FAZEMOS A OPÇÃO DE NÃO NOS CALARMOS PERANTE AS SITUAÇÕES INJUSTAS DESTE MUNDO, ESTAMOS TAMBÉM ADERINDO A VONTADE DE DEUS, FAZENDO COM QUE O SEU AMOR NOS ALCANCE DE VEZ. Alcançar o alto é ter a coragem e a determinação que tiveram Pedro e os demais discípulos (1ª leitura – At 5,27-33). Porque falavam de Jesus e das coisas do alto, foram presos e humilhados. Mas souberam agir com coerência, a ponto de dizerem: “é preciso obedecer a Deus antes que aos homens”. Que seja este o nosso sentimento e o nosso pensar, perante as situações difíceis desta vida! Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam

QUARTA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA PÁSCOA (ANO A): “Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas” (Jo 3,16-21).

Estamos hoje com a última parte da catequese de Jesus com Nicodemos. Nicodemos procurou Jesus à noite, pois não queria ser reconhecido perante as pessoas. Um doutor da lei que tinha vergonha de estar aprendendo com Jesus. Jesus gostaria mesmo que Nicodemos almejasse ser um doutor da luz. Jesus não veio para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo pela luz que é Jesus. É o que nos fala João também em seu evangelho. Queridos, Jesus nos leva a sair da escuridão. Nicodemos foi provocado em todos os instantes a sair da sombra para a luz. AO VIVERMOS SEGUNDO A LUZ, AS FORÇAS DE VENCERMOS AS TREVAS SERÃO NOTÓRIAS EM CADA CENTÍMETRO DE NOSSO SER. NÃO PERCAMOS A FÉ, MESMO QUANDO AS INTEMPÉRIES NOS FAZEM CONSTATAR TREVAS AO NOSSO REDOR. Meditemos também a primeira leitura de hoje (1ª leitura – At 5,17-26): os discípulos, ao propagarem sua fé à luz da Páscoa, depararam-se com vários obstáculos. Entre eles, a prisão. Mas Deus não lhes faltou. Diz a leitura que, “durante a noite”, o anjo lhes abriu a porta da prisão e eles saíram e prosseguiram com sua jornada e missão. E as trevas são vencidas pela luz. Nicodemos foi até Jesus à noite. Jesus lhe falou da luz. Os discípulos foram presos também à noite. Foram soltos pela luz. QUANDO SE TEM UMA FÉ SEMPRE MAIS RELACIONADA A JESUS, TODA E QUALQUER TREVA SE DISSIPA, POIS A LUZ EXTERMINA A ESCURIDÃO. ISTO É SINAL DE PASCAL PARA NÓS. Nestes dias pascais, saiamos das trevas. Com um olhar contemplativo, olhemos para o Círio Pascal presente em nossas igrejas nestes dias de Páscoa. Esta vela representa o Cristo ressuscitado. Lembremos ainda que esta mesma vela esteve presente no dia do nosso batismo. Acolhamos a luz de Deus! Seja este o nosso desejo de hoje. Proclamemos com insistência o quanto Deus tem feito por nós. Que a sua luz não nos falte jamais! Muita fé, força, amor e luz a todos! Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam

quinta-feira, 20 de abril de 2017

TERÇA – FESTA DE SÃO MARCOS, EVANGELISTA: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura” (Mc 16,15-20).

Celebramos hoje a festa de um dos nossos evangelistas. Marcos registrou os feitos de Jesus, muito mais do que num livro, mas em seu próprio coração. Soube viver cada palavra que anotou. E por isso é testemunho para a Igreja. Hoje celebramos a nossa fé, olhando para o seu exemplo e a sua dedicação. NUM MUNDO TÃO MARCADO PELA FACILIDADE DO “COPIAR E COLAR”, VENÇAMOS O QUE NOS IMPEDE DE NOS ESFORÇARMOS PARA FAZERMOS A DIFERENÇA. ESCREVAMOS NOSSAS VIDAS OLHANDO SEMPRE PARA JESUS, PARA QUE OUTROS TAMBÉM QUEIRAM INSISTIR NESTE MESMO OLHAR. Os estudiosos da Bíblia nos dizem que o evangelho de Marcos apresenta sempre o propósito de responder a pergunta: “quem é Jesus?”. Na nossa vida, diante de tudo o que somos, precisamos persistir na busca desta importante e incansável resposta. MARCOS SE TORNOU MODELO PORQUE NÃO SE DEIXOU LEVAR POR SITUAÇÕES DISTORCIDAS A RESPEITO DO SEU REAL COMPROMISSO COM FÉ. QUERIA CONHECER JESUS PARA AMÁ-LO COM MAIS PROPRIEDADE. NÃO ACEITOU UMA FÉ DESPROVIDA DA INTELIGÊNCIA. TAMBÉM NÃO QUERIA UM JESUS MUITAS VEZES EM FORMA DE CARICATURA, DISTANTE DO QUE REALMENTE ELE FOI. Olhando para São Marcos, tomando o que Jesus hoje nos fala no evangelho, anunciemos as coisas de Deus com mais compromisso, amor e respeito. Vençamos também qualquer sentimento de soberba ou algum tipo de presunção que porventura queira se instalar no nosso coração, por dizermos que somos anunciadores do amor de Deus, exercendo a condição de discípulos de Jesus (1ª leitura – 1Pd 5,5-14). São Pedro, falando com afeto e muito carinho sobre o exemplo de Marcos para o exercício do anúncio do evangelho, alertou o povo, e hoje nos alerta, para QUE POSSAMOS NOS MANTER SEMPRE ATENTOS, COM O OLHAR E O CORAÇÃO EM DIREÇÃO A JESUS, RESPONDENDO SEMPRE QUE O CONHECEMOS, DE MANEIRA ÍNTIMA E SEMPRE MAIS ESPECIAL, NA VIDA DAQUELES QUE CONTINUAM ESCREVENDO O EVANGELHO NA CARIDADE E NO SERVIÇO AOS DEMAIS IRMÃOS. É isto que nos pede a Igreja, quando nos faz celebrar a fé, olhando para o pregador, missionário e evangelista São Marcos. Que ele interceda a Deus por nós! Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam

SEGUNDA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA PÁSCOA (ANO A): “Se alguém não nasce do alto, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3,1-8).

O mistério da ressureição de Jesus que a Páscoa nos permite contemplar mais de perto, faz-nos lembrar de ESTAMOS NESTE MUNDO, MAS SEMPRE SERÁ PRECISO NOS ESFORÇARMOS PARA ALCANÇAR O PLENO E DEFINITIVO REINO DE DEUS. O episódio do evangelho de hoje não aconteceu após a ressurreição de Jesus, mas só compreenderemos a sua real e significativa mensagem se interpretarmos com um forte olhar pascal. Deixemo-nos envolver pelo diálogo de Jesus com Nicodemus. Este era membro do grupo dos fariseus. Vivia sempre conforme os ditames da lei judaica. Embora fizesse parte daqueles que criticavam Jesus, começava a sentir certo interesse pela postura e pelas suas ações. Mas não queria ser entendido como mais um a seguir Jesus. Por isso FOI ATÉ JESUS QUANDO ERA NOITE, OU SEJA, NÃO QUERIA HOLOFOTES E LUZES A REGISTRAR AQUELE ENCONTRO. Era apenas um simpatizante. Olhava, mas com um olhar de fora. NESTE TEMPO FORTE QUE É A PÁSCOA, SERÁ QUE NÃO ESTAMOS TENDO UMA FÉ DISSOCIADA DO VERDADEIRO COMPROMISSO QUE NOS FAZ SER MAIS CRISTÃOS? Jesus olhou para este chefe judaico e disse-lhe, por meio de metáfora, que era preciso nascer de novo, mas nascendo do alto, a fim de poder viver uma autêntica e comprometida religião. Nicodemus ficou intrigado, pois entendia a vida apenas em seu aspecto biológico. NASCER DE NOVO É VIVER SEMPRE A PARTIR DA REALIDADE DA PÁSCOA. ISTO É NASCER DO ALTO. É encontrar disposição para ser um autêntico seguidor de Jesus. Não à noite, mas diante da luz que dissipa toda treva. NASCER DE NOVO É DEIXAR DE SER UM MERO SIMPATIZANTE DA FÉ, PARA ABRAÇAR TODOS OS DEVERES QUE NOS TORNAM DIGNOS E CONSCIENTES CRISTÃOS. É rezar com a vida, a fim de fazer tremer todas as situações que nos impedem de ver Jesus vivo e ressuscitado no semblante do irmão (1ª leitura – At 4,23-31). VENÇAMOS A FALTA DE COMPROMISSO COM A NOSSA FÉ. ISTO É NASCER DO ALTO, A PARTIR DO CHAMADO QUE A RESSURREIÇÃO DE JESUS NOS FAZ. Sejamos sempre novos. Testemunhemos a vida que Deus quer para nós. Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam

segunda-feira, 17 de abril de 2017

2º DOMINGO DA PÁSCOA (ANO A): “Acreditaste porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!” (Jo 20,19-31).

Neste contexto de Páscoa, celebramos hoje o belo domingo dedicado à festa da Misericórdia. E nos deleitando mais uma vez com as reflexões acerca das aparições do Cristo ressuscitado, o evangelho de hoje nos faz olhar para aquele discípulo que duvidou. Infelizmente, fomos acostumados a ter um olhar preconceituoso, pois, diante dos relatos sobre a ressurreição de Jesus, num primeiro instante, Tomé se fez descrente de tudo. Mas é bom lembrar que foi Tomé quem ouviu Jesus dizer que é O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA. SÃO TOMÉ É O RETRATO DE MUITOS DE NÓS. MOVIDOS PELA IMPACIÊNCIA E PELA DÚVIDA, MUITAS VEZES AGIMOS DA MESMÍSSIMA MANEIRA. Sendo hoje o DOMINGO DA MISERICÓRDIA, olhemos com ternura e compaixão para este homem escolhido para ser um dos apóstolos da Igreja, pois É ATRAVÉS DA INQUIETUDE QUE SE DÁ O INÍCIO AO PROCESSO DO APRENDIZADO. São Francisco de Assis já havia pedido a Deus que onde houvesse dúvida, ele queria se tornar instrumento da fé. SOMOS SERES FINITOS. ESTAMOS SEMPRE ENVOLTOS À LIMITAÇÃO E À DÚVIDA. São Tomé errou, mas tinha o desejo de acertar. Jesus diz que feliz é aquele que crer sem ver. Às vezes teimamos e queremos ver demais. SE ESTIVERMOS SEMPRE DESEJANDO O ACERTO, SABEREMOS SUPERAR AS DÚVIDAS, A FIM DE ENCONTRAR O QUE É ESSENCIAL. Acolhendo o outro, que também é finito, ouvindo e prestando apoio no momento devido e necessário, nivelando sempre por cima, toquemos e sintamos o amor de Deus. E assim digamos com a nossa vida: “MEU SENHOR E MEU DEUS! É este o verdadeiro sentimento que deve nortear o nosso saber, em especial o clima de Páscoa que invade os nossos corações. Sejamos perseverantes! Os primeiros cristãos perseveram na fé, não pelo toque, mas pelo ouvir sereno e discreto (1ª leitura – At 2,42-47). Afinal, a grande alegria está em sentir o quanto Deus nos ama, a partir do instante que estendemos este amor aos irmãos (2ª leitura – 1Pd 1,3-9). Que os nossos sentidos não ofusquem a sede infinita que temos de viver conforme a vontade de Deus. Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam

domingo, 16 de abril de 2017

SÁBADO DA OITAVA DA PÁSCOA (ANO A): “Repreendeu-os por causa da falta de fé e pela dureza de coração, porque não tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado’” (Mc 16,9-15).

No final da semana da oitava da Páscoa, o evangelho faz uma síntese das primeiras aparições de Jesus ressuscitado. JESUS APARECENDO A MARIA MADALENA, DEPOIS AOS DISCÍPULOS DE EMAÚS E POR FIM AOS ONDE DISCÍPULOS. O que chama ardentemente a nossa atenção é que, em todos os momentos sempre pairava a incredulidade. E o evangelho diz que Jesus repreendia veementemente aqueles que não conseguiam aceitar a sua ressurreição. Parando para refletir esta impressionante realidade para a nossa fé, no início deste tempo de Páscoa, perguntemo-nos: quais são as reais dificuldades para vivermos as alegrias da Páscoa de Jesus na nossa vida? É certo que SITUAÇÕES DE MORTE, A FALTA DE RESPEITO PARA COM O SEMELHANTE, A AUSÊNCIA DE DIGNIDADE E DE AMOR NO MUNDO ATUAL E TANTAS OUTRAS SITUAÇÕES DESPREZÍVEIS E CALAMITOSAS NOS FAZEM CAIR NA TENTAÇÃO DE SENTIR CERTO DESCRÉDITO SOBRE SE A VIDA VENCE MESMO A MORTE. MAS É AÍ QUE TEMOS QUE SER FORTES E RESISTENTES PARA NÃO DUVIDARMOS DO QUANTO É PRECISO TER FÉ E TER ESPERANÇA. Olhar para Jesus vivo e ressuscitado, mesmo trazendo consigo as marcas da morte naquela cruz, é aprender o quanto se faz necessário teimarmos e acreditarmos, contra tudo e contra todos, que não há outro caminho, não existe outra via, pois a vida sempre vencerá a morte e o bem sempre prevalecerá. As testemunhas da ressurreição, mesmo sem apoio, continuaram acreditando e espalhando esta bela e plena notícia. Façamos o mesmo! Apesar dos pesares, PRECISAMOS TER FORÇA E CORAGEM PARA SEGUIRMOS COM A NOSSA VOCAÇÃO DE ESPERAR E CONFIAR EM DEUS QUE NOS CHAMA À VIDA PLENA. As dificuldades sempre serão notórias. Pedro e João, na leitura de hoje, atestam isso para nós (1ª leitura – At 4,13-21). E como disseram eles, também não podemos calar diante das maravilhas do amor de Deus. QUE ASSIM POSSAMOS PROSSEGUIR COM AS NOSSAS VIDAS. MESMO EM MEIO A TANTOS SINAIS DE MORTE E DOR, SEREMOS SEMPRE CONTEMPLADOS COM O DOM DA VIDA QUE JESUS TEM A NOS OFERECER. Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam

sábado, 15 de abril de 2017

SEXTA-FEIRA DA OITAVA DA PÁSCOA (ANO A): “Simão Pedro disse a eles: ‘eu vou pescar’. Eles disseram: ‘também vamos contigo’” (Jo 21,1-14).

Mais uma vez Jesus se apresenta ressuscitado perante seus discípulos. Os discípulos se sentiam fracassados. Preferiam voltar a pescar peixe e garantir a subsistência de suas famílias. Mas JESUS INSISTE COM ELES. ELE JÁ HAVIA DITO QUE OS QUERIA SENDO PESCADORES DE HOMENS. Pedro estava tentando pescar, mas não conseguia nada. QUANDO TEIMAMOS EM VIVER SEM A PRESENÇA DE JESUS, FRACASSAMOS EM TUDO QUE QUEREMOS REALIZAR. Até que Jesus aparece, mas achavam que fosse um mendigo, pois o viram à margem do mar. QUANDO VIVEMOS À MARGEM DA FÉ, INFELIZMENTE NÃO RECONHECEREMOS O QUANTO DEUS QUER CAMINHAR CONOSCO. TENTAMOS REAGIR, MAS A FORÇA NÃO SE TORNA SUFICIENTE. Mas, quando deram ouvidos ao que Jesus falava sobre aquela pesca fracassada, os peixes começaram a aparecer. João simbolicamente fala que eram 153 peixes. Este era o número das comunidades que havia naquele tempo. JESUS RESSUSCITADO QUER TRANSMITIR ALEGRIA E VONTADE DE VIVER A TODOS, INDISTINTAMENTE. Precisamos ir ao seu encontro. Fazer d’Ele a razão da nossa missão. Quando os peixes começaram a surgir, conseguiram reconhecer Jesus. Pedro estava nu e logo se atirou ao mar. QUANDO NÃO CONFIAMOS EM DEUS, NÃO CONSEGUIMOS NOS REVESTIR DA GRAÇA DO SEU AMOR QUE NOS TRANSMITE CONFIANÇA E MOTIVAÇÃO. PRECISAMOS RECONHECER OS NOSSOS FRACASSOS E A NOSSA NUDEZ, PARA QUE POSSAMOS NOS TORNAR DISCÍPULOS E ASSIM PESCARMOS GENTE, MESMO DIANTE DAS DIFICULDADES QUE A MISSÃO NOS IMPÕE. Pedro não somente se vestiu. Revestiu-se de confiança em Deus. O trecho dos Atos dos Apóstolos nos apresenta um Pedro revestido de verdade (1ª leitura – At 4,1-12). Ele e João foram levados ao tribunal. Falavam das coisas bonitas que a fé em Jesus tem a oferecer. Quando ele se vestiu naquela pescaria, revestiu-se pra valer. É o que precisamos fazer. Necessitamos urgentemente viver o tempo novo que a Páscoa nos oferece. ESTE ENCONTRO PRIMOROSO COM JESUS, DIZ O EVANGELHO, ACONTECEU NAS PRIMEIRAS HORAS DO DIA. NÃO ERA APENAS MAIS UM DIA. ERA UM TEMPO NOVO. QUE POSSAMOS VIVER ESTE TEMPO NOVO A PARTIR DE JESUS RESSUSCITADO NO MEIO DE NÓS.  Padre Aureliano Gondim. #GotasQueEdificam